O programa Eu Faço Cultura foi instituído há 15 anos a partir da iniciativa promovida pela Fenae e pelas Apcefs que estimularam cerca de 10 mil empregados da Caixa a destinarem parte de seus impostos de renda para a promoção e acesso à cultura para quem mais precisa nesse país tão desigual. Tornou-se modelo de boa utilização da Lei de Incentivo à Cultura.

Possibilitou acesso a shows, oficinas de dança, música, teatro, circo e fotografia em 57 cidades brasileiras. Colocando em prática os objetivos de democratizar, impulsionar o mercado e o consumo cultural, assim como valoriza os artistas locais e ampara milhares de pequenos e médios produtores culturais.

Com o tempo, o Eu Faço Cultura foi ampliado; ganhou uma plataforma digital. Anualmente, a Fenae e as Apcefs mostram os resultados sobre o que o apoio representa. Com a adesão dos empregados da Caixa, renovam-se as esperanças ao levar livros para crianças, ao contribuir para a formação e atualização de acervos de bibliotecas de escolas públicas, de entidades sociais nas cidades mais distantes e carentes.

Até agosto de 2020, o Eu Faço Cultura distribuiu mais de 93 mil produtos culturais para 742 municípios nos 26 estados e no Distrito Federal. Devido à pandemia, o ciclo de produção e de exibição de produtos culturais precisou ser alterado. Espetáculos infantis gravados, jogos, atividades, lives com os personagens de peças teatrais, por exemplo, passaram a ser a tônica do período, com exibição, apoio e incentivo por meio da plataforma digital.

Em 2021, de forma on-line, os escritores e as editoras independentes passaram a cadastrar seus trabalhos e os livros dominaram a vitrine do Eu Faço Cultura. A democratização da cultura continua a partir da adesão de 505 empregados da Caixa. Junte-se e apoie a iniciativa.

Acesse o site www.eufacocultura.com.br para saber mais sobre o programa.

Eu Faço Cultura: ajude a transformar vidas por meio da arte

 

O programa Eu Faço Cultura foi instituído há 15 anos a partir da iniciativa promovida pela Fenae e pelas Apcefs que estimularam cerca de 10 mil empregados da Caixa a destinarem parte de seus impostos de renda para a promoção e acesso à cultura para quem mais precisa nesse país tão desigual. Tornou-se modelo de boa utilização da Lei de Incentivo à Cultura.

Possibilitou acesso a shows, oficinas de dança, música, teatro, circo e fotografia em 57 cidades brasileiras. Colocando em prática os objetivos de democratizar, impulsionar o mercado e o consumo cultural, assim como valoriza os artistas locais e ampara milhares de pequenos e médios produtores culturais.

Com o tempo, o Eu Faço Cultura foi ampliado; ganhou uma plataforma digital. Anualmente, a Fenae e as Apcefs mostram os resultados sobre o que o apoio representa. Com a adesão dos empregados da Caixa, renovam-se as esperanças ao levar livros para crianças, ao contribuir para a formação e atualização de acervos de bibliotecas de escolas públicas, de entidades sociais nas cidades mais distantes e carentes.

Até agosto de 2020, o Eu Faço Cultura distribuiu mais de 93 mil produtos culturais para 742 municípios nos 26 estados e no Distrito Federal. Devido à pandemia, o ciclo de produção e de exibição de produtos culturais precisou ser alterado. Espetáculos infantis gravados, jogos, atividades, lives com os personagens de peças teatrais, por exemplo, passaram a ser a tônica do período, com exibição, apoio e incentivo por meio da plataforma digital.

Em 2021, de forma on-line, os escritores e as editoras independentes passaram a cadastrar seus trabalhos e os livros dominaram a vitrine do Eu Faço Cultura. A democratização da cultura continua a partir da adesão de 505 empregados da Caixa. Junte-se e apoie a iniciativa.

Acesse o site www.eufacocultura.com.br para saber mais sobre o programa.

Eu Faço Cultura: ajude a transformar vidas por meio da arte