Notícias

CARD-GalasFeios-600x400.jpg

13/01/21 13:12 / Atualizado em 14/01/21 10:34

minuto(s) de leitura.

Entidades debatem sobre defesa dos empregados da Caixa, privatização e o legado social nesses 160 anos

Diretores da Federação mostram ao país os temas que atravessam o desenvolvimento e as políticas assistência social do banco público e a importância do trabalho dos empregados

Foram intensas as discussões na live debate sobre o aniversário dos 160 anos Caixa, promovida na noite de terça-feira (12) pela Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT). Mais de 3 mil pessoas acompanharam a transmissão pelo Facebook e Youtube da Federação. Os debatedores e convidados esclareceram como a ameaça de privatização pode atingir a capacidade social desse banco público, e o papel das entidades sindicais e associativas nas lutas e ainda sobre a atuação dos empregados durante o atendimento emergencial na pandemia.

Os apresentadores Helder Maldonado e Marco Benzzi dos “Galãs Feios” conversaram com os internautas sobre os pontos tratados no vídeo “ As 10 coisas que você precisa saber sobre a Caixa” e em seguida o presidente da Fenae, Sergio Takemoto, falou da problemática envolvida na criação do banco digital, que recentemente recebeu um parecer inicial favorável do Banco Central.  

“A digitalização do banco representa o fim da Caixa Econômica, de sua sobrevivência enquanto banco público”, alertou Takemoto. O presidente da Fenae revelou o que se oculta na criação de mais de 100 milhões de poupanças digitais na Caixa durante a pandemia, que embora demonstre a grande dimensão e capacidade do banco, ao mesmo tempo, se configura como uma privatização disfarçada. Tratando-se de dividir o banco em várias partes (subsidiárias) e uma venda disfarçada de cada uma delas. 

Rita Lima, diretora de Relações do Trabalho da Fenae e da Intersindical, justificou que os serviços oferecidos pelo banco ao longo dos anos é próprio de toda a população brasileira e convidou a população a defender o banco, que atendeu aproximadamente 120 milhões de pessoas durante a emergência da pandemia. “ Não podemos deixar privatizar esse banco. Conclamamos a quem se beneficia das políticas públicas da Caixa que se somem às entidades sindicais e associativas em defender nosso patrimônio”.  

Emanoel Souza, conselheiro fiscal da Fenae, secretário-geral da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe (Feeb) e da coordenação da CTB Bancários, falou sobre o legado e a vocação do banco que sempre foi de socorro à população desassistida, assim como ocorreu no período da escravidão. Emanoel falou sobre o papel dos empregados da Caixa e das entidades de trabalhadores nos serviços e que dão suporte na realização dos sonhos da população pobre. “ Não dá para definir a Caixa em poucos elementos. Ele é o banco dos sonhos da população pobre desse Brasil, que é um país tão desigual”, relatou. 

Fabiana Proscholdt, coordenadora da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa) e secretária de Cultura da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT), reforçou o potencial dos serviços públicos, a necessidade das estatais e da Caixa na prestação das políticas públicas, além de cobrar mais valorização por parte da direção da Caixa para com os trabalhadores.

“Quem constrói a Caixa no dia a dia são os empregados da Caixa, com todas as dificuldades e condições de trabalho precárias, porque eles estão sobrecarregados e com metas desumanas”, disse Fabiana, ao lamentar que, infelizmente, não tem sido possível prestar serviços de excelência, como a população merece, devido às precárias condições nas agências, desfalque no número de empregados e difíceis condições nos postos de trabalho. O presidente do Conselho Deliberativo Nacional da Fenae, Jadir Garcia, falou em vídeo sobre a temática em discussão. 

Os internautas puderam conferir, vídeos, depoimentos sobre a importância do banco da cidadania e do desenvolvimento social, além das mensagens dos ex-presidentes da Caixa Gilberto Occhi, Maria Fernanda e Mirian Melchior. Os parlamentares Enio Verry (PT/PR), José Carlos (PT/MA) e Érika Kokay (PT/DF) conversaram sobre a atuação no Legislativo para barrar a política e os projetos de privatização das estatais, como os que atingem a Caixa.   

 

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado