Notícias

ReuniaoBelaguaMaranhao 600X400

07 Junho 2019 - 14:18

Diretores da Fenae e representante do governo do Maranhão debatem ações em Belágua

O município maranhense recebe desde 2015 ações de sustentabilidade e geração de renda desenvolvidas pelo Movimento Solidário

A Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) apresentou ao governo do Maranhão reivindicações de comunidades assistidas pelo programa de Responsabilidade Social da entidade, o Movimento Solidário. Dentre os pleitos estão a conclusão das casas do Programa Habitação Rural do Governo do Estado – Mais IDH nas comunidades Preazinho, Juçaral e Marajá, a conclusão dos poços artesianos do Mais IDH em Juçaral e Preazinho, a ampliação do atendimento médico da Força Estadual de Saúde na zona rural e a construção de salas de aula  nas comunidades Bom Principio, Preazinho, Juçaral, Pilões, Lagoas, Jabuti e Galegas.

Esta pauta foi debatida durante reunião realizada nesta sexta-feira (7), em São Luís (MA), que contou com a participação do subsecretário dos Direitos Humanos e Participação Popular, Bruno Lacerda, dos diretores da Fenae Moacir Carneiro  (Sociocultural) e Rachel Weber (Juventude) e do diretor do Instituto Fenae, Davi Borges, além da analista de Responsabilidade Social da Fenae, Denise Alencar.

Durante o encontro, Bruno Lacerda se comprometeu a encaminhar para as instâncias do governo maranhense as demandas das comunidades de Belágua. “Gostaria de reiterar o agradecimento pela parceria e a seriedade que a Fenae tem atuado em Belágua. Por acreditar que é possível mudar a realidade do município e de que as pessoas que vivem nessas comunidades são merecedoras e têm direito a essas políticas públicas”, enfatizou o adjunto da Sedihpop. 

Desde 2015, Movimento Solidário está realizando ações de geração de renda e melhoria das condições de vida de famílias carentes de Belágua. Atualmente, são 21 comunidades beneficiadas, o que compreende cerca de 1.500 pessoas atendidas com projetos de criação de peixe e porcos, galinhas, codornas, hortas comunitárias, dentre outras. Um novo mapeamento está sendo feito para levar o programa a mais cinco comunidades.

O diretor do Instituto Fenae, David Borges, disse que um dos desafios estabelecidos nessa nova fase do Movimento Solidário é impactar várias comunidades ao mesmo tempo. “A Federação é a articuladora desse processo. A atuação de parceiros como o governo do Estado é importante para o êxito das ações do programa”, frisou.

Moacir Carneiro, diretor Sociocultural da Fenae, disse que a intenção é buscar soluções sustentáveis para as mais de 300 famílias contempladas pelo Movimento Solidário. “Estamos implantando projetos para que as comunidades possam dar continuidade quando o programa deixar de atuar lá, a exemplo do que aconteceu em Caraúbas do Piauí”, ressaltou.


Doações

Além da parceiros como o governo do Estado, Prefeitura de Belágua e Wiz Soluções, foi ressaltado ainda o engajamento dos empregados da Caixa, que, com suas doações, têm viabilizado o programa. “Através das doações, eles têm feito o Movimento Solidário acontecer”, destacou a diretora de Juventude da Fenae, Rachel Weber.

Neste sábado (8), serão inaugurados novos projetos do programa em cinco comunidades: Cupira, Cocalzinho, Marajá, Pó e Rio da Naja, cujas cerimônias vão contar com a participação de diretores da Fenae, dirigentes de Apcefs e empregados da Fenae convidados para conhecer o projeto, além de representantes do governo do Estado, da Prefeitura e lideranças comunitárias.

Serão entregues dois tanques de peixe, pocilgas para criação de porcos e um poço artesiano.

 

Doe agora para o Movimento Solidário.

 

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado