Notícias

reforma 600400.png

04/07/19 17:14 / Atualizado em 04/07/19 17:20

minuto(s) de leitura.

Deputados aprovam relatório que acaba com a aposentadoria

Mais de 70% dos membros do colegiado da Comissão Especial votou para aprovar o texto da Reforma da Previdência

No início da tarde de hoje (4), por 36 votos a 13, o substitutivo da reforma foi aprovado na comissão especial que trata do tema na Câmara dos Deputados. A aprovação só aconteceu após os partidos ligados ao centrão emplacarem algumas das suas exigências, como a retirada das mudanças sugeridas para os trabalhadores rurais, para quem recebe o benefício de prestação continuada (BPC) e reduzir a idade de aposentadoria para professores.

A espinha dorsal do texto aprovado hoje determina o fim da aposentadoria por tempo de contribuição e determina exigência mínima de 65 anos, se homem, e 62 anos, se mulher. "O que vimos hoje foi vergonhoso. Eles bateram palmas em comemoração a essa reforma que significa a sentença de morte de muitos trabalhadores, principalmente do Norte e do Nordeste. São velhos homens brancos, privilegiados, que não fazem a menor ideia do que é a vida de um trabalhador", desabafa a diretora de Saúde e Previdência da Fenae, Fabiana Matheus. 

A expectativa que é a sessão adentre até a noite desta quinta-feira, pois os parlamentares devem analisar os destaques, que são emendas que podem mudar a estrutura básica do texto principal. Os principais são os que tratam dos profissionais da segurança pública e da participação de Estados e Municípios na reforma.

Depois de aprovada na comissão, o texto segue para o plenário da Câmara, onde necessita de três quintos dos votos (308 dos 513) dos deputados para ser aprovado em dois turnos. Por se tratar de uma emenda à Constituição, a proposta só será aprovada se, nas duas votações, tiver os votos de pelo menos três quintos dos deputados: 308 dos 513. Em caso de aprovação, será enviada ao Senado.

O governo estima que a discussão no plenário da Câmara ocorra na próxima semana e a votação até o dia 17 de julho, início do recesso parlamentar.

Confira a lista dos deputados que votaram a favor da reforma e contra o trabalhador:

Alex Manente (Cidadania-SP) 
Alexandre Frota (PSL-SP) 
Arthur Oliveira Maia (DEM-BA) 
Beto Pereira (PSDB-MS) 
Bilac Pinto (DEM-MG) 
Capitão Alberto Neto (PRB-AM) 
Celso Maldaner (MDB-SC) 
Daniel Freitas (PSL-SC)
Daniel Trzeciak (PSDB-RS)
Darci de Matos (PSD-SC) 
Darcísio Perondi (MDB-RS) 
Delegado Éder Mauro (PSD-PA) 
Diego Garcia (PODE-PR) 
Dr. Frederico (Patriota-MG) 
Evair de Melo (PP-ES) 
Fernando Rodolfo (PL-PE) 
Filipe Barros (PSL-PR) 
Flaviano Melo (MDB-AC)
Giovani Cherini (PL-RS) 
Greyce Elias (Avante-MG)
Guilherme Mussi (PP-SP) 
Heitor Freire (PSL-CE) 
Joice Hasselmann (PSL/SP) 
Lafayette Andrada (PRB-MG) 
Lucas Vergilio (SOLIDARIEDADE-GO) 
Marcelo Moraes (PTB-RS) 
Marcelo Ramos (PL-AM) 
Paulo Ganime (Novo-RJ) 
Paulo Martins (PSC-PR) 
Pedro Paulo (DEM-RJ)
Reinhold Stephanes Junior (PSD-PR) 
Ronaldo Carletto (PP-BA) 
Samuel Moreira (PSDB-SP) 
Silvio Costa Filho (PRB-PE) 
Toninho Wandscheer (PROS-PR) 
Vinicius Poit (NOVO-SP)

 

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado