Notícias

ImagemDionisoReisConecef

03 Maio 2019 - 16:20

35º Conecef foca na defesa da Caixa, da aposentadoria e dos direitos dos empregados

Evento está programado para os dias 1º e 2 de agosto, em São Paulo. No momento, a prioridade é a organização da Greve Geral convocada pela CUT e demais centrais sindicais, para a data de 14 de junho

Vem aí o 35º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal (Conecef), agendado para os dias 1º e 2 de agosto, em São Paulo (SP). Os critérios para a realização do evento foram debatidos pelo Comando Nacional dos Bancários, que se reuniu nesta quinta-feira (2), na capital paulista.

Foi definido que o Conecef 2019 ocorrerá junto com a Conferência Nacional dos Bancários. A decisão tem a ver com a necessidade de a categoria bancária priorizar a organização da Greve Geral, marcada para 14 de junho, para defender a Previdência social, o patrimônio público e os direitos dos trabalhadores.  

No início de junho, em preparação ao 35º Conecef, será realizado um encontro representativo dos trabalhadores dos bancos públicos. A iniciativa visa intensificar as ações de resistência contra a tentativa do atual governo federal em privatizar o patrimônio público. Um exemplo desse ataque é o leilão de concessão de Loterias Instantâneas da Caixa, a Lotex, que está previsto pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para 9 de maio.

“Precisamos aprovar uma estratégia nacional em defesa da Caixa pública, social e forte, assim como em defesa de todos os bancos públicos. Nesse contexto, é preciso ainda defender os direitos dos trabalhadores dessas instituições e o patrimônio público, que, se utilizado corretamente, poderia tirar o país da crise e elevar as condições de vida da população brasileira”, afirma Dionísio Reis, coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) e diretor da Região Sul da Fenae.

Como parte desse calendário, a categoria bancária irá lançar no dia 8 de maio, em ato na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), a Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Bancos Públicos.  “Além de impedir o fim das aposentadorias e da Seguridade Social, precisamos impedir também o fatiamento da Caixa e a venda dos bancos públicos para a rede privada.  Esse cenário ameaça não apenas os empregos dos bancários e das bancárias de todo o país, mas o desenvolvimento econômico e social do país”, diz o coordenador da CEE/Caixa.

No mesmo dia e horário do ato de lançamento da Frente, será realizado também o seminário “Bancos públicos e desenvolvimento”, que reunirá especialistas em economia do Brasil e do exterior. Hoje, a causa dos bancos públicos como ferramentas de desenvolvimento nacional tem a adesão de senadores e deputados de 19 partidos das mais diversas ideologias.

“A conjuntura é de resistência e a nossa luta deve estar focada tanto na defesa da Caixa pública e social quanto na defesa dos direitos dos empregados, avalia Jair Pedro Ferreira, presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae).

Jair Ferreira lembra ainda que o Conecef é um momento importante da organização dos trabalhadores do banco, uma vez que discute as questões específicas do dia a dia dos empregados, construindo a partir desse fórum de debate a pauta de reivindicações da mesa permanente de negociações com a empresa.

Mais orientações

O 35º Conecef reunirá um total de 328 delegados, entre empregados da ativa e aposentados. Nesta edição, por decisão do Comando Nacional dos Bancários, não haverá inscrição de observadores, ficando franqueadas às federações a participação de convidados. Nesse caso, todas as despesas serão de responsabilidade da entidade de base.

Para garantir o debate dos temas específicos dos empregados da Caixa no 35º Conecef, o Comando Nacional dos Bancários apresenta o quantitativo de delegados por estado, no qual será exigida a observância da paridade de gênero em 50% nas delegações.

A distribuição foi assim: Acre – 3 delegados (2 de ativa e 1 aposentado), Alagoas – 4 delegados (3 da ativa e 1 aposentado), Amazonas – 3 delegados (2 da ativa e 1 aposentado), Amapá – 3 delegados (2 de ativa e 1 aposentado), Bahia – 15 delegados (12 de ativa e 3 aposentados), Ceará – 8 delegados (6 da ativa e 2 aposentados), Distrito Federal – 32 delegados (27 de ativa e 5 aposentados), Espírito Santo – 7 delegados (5 de ativa e 2 aposentados), Goiás – 11 delegados (9 da ativa e 2 aposentados), Maranhão – 5 delegados (3 da ativa e 2 aposentado), Minas Gerais – 33 delegados (25 da ativa e 8 aposentados), Mato Grosso – 4 delegados (3 da ativa e 1 aposentado), Mato Grosso do Sul – 4 delegados (3 da ativa e 1 aposentado), Pará – 5 delegados (4 de ativa e 1 aposentado), Paraíba – 4 delegados (3 da ativa e 1 aposentado), Paraná – 20 delegados (15 da ativa e 5 aposentados), Pernambuco – 9 delegados (7 da ativa e 2 aposentados), Piauí – 3 delegados (2 da ativa e 1 aposentado), Rio de Janeiro – 32 delegados (20 de ativa e 12 aposentados), Rio Grande do Norte – 4 delegados (3 da ativa e 1 aposentado), Rio Grande do Sul – 22 delegados (16 da ativa e 6 aposentados), Rondônia – 3 delegados (2 da ativa e 1 aposentado), Roraima – 3 delegados (2 da ativa e 1 aposentado), Santa Catarina – 13 delegados (10 de ativa e 3 aposentados), São Paulo – 72 delegados (58 de ativa e 14 aposentados), Sergipe – 3 delegados (2 de ativa e 1 aposentado) e Tocantins – 3 delegados (2 da ativa e 1 aposentado).

Delegados natos

Os membros da Comissão Executiva dos Empregados, no total de 12 – um por federação e um representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT) – participam do 35º Conecef na condição de delegados natos. As inscrições serão feitas eletronicamente, embora o pagamento da taxa ficará sob a responsabilidade da entidade de origem.

O prazo para inscrição de todos os delegados do evento ocorrerá no período de 17 de junho a 2 de julho. Link com este objetivo será disponibilizado oportunamente.
 

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado