Em todo o país, empregados se manifestam em defesa da Caixa e cobram diálogo | Portal
15/03/19 18:17

Em todo o país, empregados se manifestam em defesa da Caixa e cobram diálogo

agencia dez.jpg

 O Dia Nacional de Luta em defesa da Caixa mobilizou empregados em todo o país desde o início da manhã de sexta-feira, 15. Muitas atividades, muitos empregados vestindo preto e conversando com os clientes e com a população sobre os riscos de desmonte do banco público de todos os brasileiros. Na avaliação do coordenador da CEE/Caixa, Dionísio Reis, a adesão dos empregados mostra a indignação da categoria com a ausência de diálogo e com as medidas privatistas que estão sendo implantadas na empresa. “Foi um dia bastante positivo, o início de um grande processo de mobilização que deverá envolver toda a sociedade, pois uma Caixa 100% pública é determinante para o desenvolvimento do país”, acrescentou. Os empregados também protestaram contra a possibilidade de provisionamento no balanço da Caixa que reduza a PLR devida e exigiram respeito ao acordo coletivo. 

Com tuitaço marcado para às 14h na rede social, ainda pela manhã o movimento ganhou repercussão online com as hashtag #ACaixaÉdoBrasil e #DiaNacionaldeLuta.  A Fenae destacou o #DiaNacionaldeLuta lembrando que a mobilização é uma resposta aos recentes posicionamentos da nova diretoria, que deu início ao desmonte da Caixa.

 

Brasília - No prédio Matriz I, em Brasília, a ação começou antes das 8h, com a ação de convencimento aos empregados que chegavam aos postos de trabalho. Posicionados em cada entrada dos edifícios, os representantes da Contraf-CUT e do Sindicato dos Bancários de Brasília (SEB-Brasília) distribuíram aos colegas panfletos e a Carta Aberta ao Presidente da Caixa, Pedro Guimarães, para que todos tomem conhecimento dos motivos da mobilização dos empregados da Caixa que ocorre no Brasil inteiro.

A diretora do SEB-Brasília, Maria Gaia,  lembrou que os empregados da Caixa têm motivos de sobra para protestar contra o que está ocorrendo na Caixa. “Estamos retardando um pouco a entrada para lembrar que a venda de setores lucrativos do banco é uma armação que prejudica o nosso patrimônio para beneficiar a outros interesses e não ao desenvolvimento”.

Fabiana Uehara, diretora da Contraf-CUT e da Fenae, também esteve com os colegas na ação de retardamento de entrada da Matriz I. Além das duas portas mais largas que estavam fechadas, a da Caixa Cultural também ficou sem acesso por algum tempo. 


 

São Paulo - O Sindicato dos Bancários de São Paulo veiculou o protesto principalmente nas agências do eixo da Avenida Paulista, onde houve atraso de cerca de uma hora na abertura das agências, com panfletagem e afixação de cartazes.  
A APCEF-SP mostrou a participação dos empregados da agência centro, em São José dos Campos, com os cartazes #EmDefesaDaCaixa.


Pernambuco
- As manifestações dos pernambucanos também ganharam as redes: as agências Guararapes e Shopping Recife foram destaques lembrando que #CaixaédoBrasil. Os empregados vestiram camisas de cor preta, além de divulgarem os panfletos com as razões da luta.

 

Alagoas - As agências da Caixa Econômica Federal ficaram fechadas, na manhã desta sexta-feira, no centro de Maceió e na cidade de Arapiraca, em virtude de paralisação das atividades dos empregados. O movimento, coordenado pelo Sindicato, fez parte do Dia Nacional de Luta em Defesa da Caixa 100% Pública, cujo objetivo foi protestar contramedidas da nova Administração.

“Tais medidas atacam os trabalhadores, privatizam segmentos lucrativos do banco e enfraquecem o caráter público da Caixa”, destaca o presidente do Sindicato, Márcio dos Anjos. Segundo ele, a finalidade do governo é fatiar a itória, onde diretores do Sindicato e demais empregados do banco conversaram sobre a importância de defender a Caixa 100% pública e combater as medidas de fatiamento anunciadas pelo governo. “O esquartejamento da Caixa é uma forma de enfraquecer e asfixiar a empresa, aprofundando um processo de sucateamento que já estava em curso. Ao entregar as partes mais lucrativas do banco, a Caixa perde espaço de mercado e recursos que dão sustentação a várias políticas. As consequências serão muitas, como redução dos postos de trabalho, fechamento de agências e redução do seu papel social”, explica a diretora do Sindibancários/ES Renata Garcia, empregada do banco.

Cantaduva e região - Em protesto ao desrespeito com os trabalhadores e contra as medidas privatistas, o Sindicato dos Bancários de Catanduva e Região se uniu aos empregados de todo o país no Dia Nacional de Luta em Defesa da Caixa. Vestidos de preto e portando uma faixa com os dizeres “Não tem sentido Privatizar a Caixa”, os dirigentes visitaram agências lotadas na base territorial do Sindicato para dialogar com os bancários sobre a importância do banco e alertar sobre seu desmonte, que terá consequências diretas para os empregados, mas também trará reflexos para toda sociedade, na oferta da moradia e infraestrutura, no bem-estar dos trabalhadores e de toda população. Durante a atividade, também foram distribuídas cartilhas contando a história de luta e conquistas dos direitos dos empregados.

Campina Grande (PB) -  Os bancários da Caixa de Campina Grande vestiram preto, nesta sexta-feira (15), para o Dia Nacional de Luta em Defesa da Caixa. O protesto foi contra os constantes ataques do governo Bolsonaro e da atual direção do banco contra os trabalhadores e o caráter social do banco público.

Guarulhos e Região - Diretores e diretoras do Sindicato dos Bancários vestiram preto para defender a Caixa Econômica Federal dos ataques que vem sofrendo pela nova direção do banco, como ataques aos funcionários e contra o caráter público da instituição. Hoje o governo fatia e entrega a Caixa, amanhã ele fatia e entrega o BB e quem passará a lucrar absurdamente com os bancos públicos é a iniciativa privada, o Brasil perderá muito com essa entrega e é para impedi-la que continuaremos lutando”, avalia o presidente do Sindicato, Luis Carlos dos Santos.

Cornélio Procópio (SP) - Seguindo a orientação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e da Comissão Executiva dos Empregados (CEE), o Sindicato dos Bancários de Cornélio Procópio realizou na manhã desta sexta-feira (15/03) manifestação em frente à agência da Caixa Econômica Federal na cidade de Bandeirantes.

“Este Dia Nacional de Luta em Defesa da Caixa e dos seus empregados é uma forma de despertar a atenção da população para o que o governo Jair Bolsonaro pretende fazer com o banco público, patrimônio dos brasileiros que pode ser vendido em fatias para atender aos interesses do setor privado”, ressalta Carlos Alberto Martins, diretor do Sindicato dos Bancários de Cornélio Procópio.

 

 

 

Tags:

Compartilhe