Notícias

MatrizCaixa5-600x400.jpg

06 Dezembro 2017 - 13:16

Conselho de Administração da Caixa vota alteração estatutária amanhã

Representante dos empregados, Rita Serrano, apresentou documentos para tentar impedir que banco se transforme em sociedade anônima e destaca importância da participação dos empregados nas atividades desta quinta

As alterações no estatuto da Caixa, entre elas a possível transformação do banco em uma sociedade anônima, devem ser votadas na reunião do Conselho de Administração (CA) do banco que acontece amanhã, 7, em Brasília. A representante dos empregados no CA, Rita Serrano, que já declarou voto contrário para a S/A, encaminhou no início dessa semana mais um documento para expor as objeções à proposta e oferecer sugestões de melhoria na governança sem que seja necessária a mudança estatutária.

Desde outubro, esse é o segundo documento apresentado por ela sobre o estatuto. O primeiro, com questionamentos jurídicos, resultou no adiamento da votação. A direção do banco, por intermédio de seu presidente, Gilberto Occhi, também declarou voto contrário, mas o resultado da votação depende dos cinco integrantes do conselho que representam o governo. “Esse novo documento é um último esforço para tentar impedir uma Caixa S/A, uma transformação que conseguimos excluir do Projeto de Lei (PLS) 555 no ano passado e que agora o governo retoma com a justificativa de melhorar a governança, mas que é ilegal”, afirma Rita, explicando que tornar a Caixa sociedade anônima contraria o próprio Estatuto das Estatais e depende de lei específica no Congresso Nacional.

Mobilização - A defesa da Caixa como banco público vem acontecendo também nos locais de trabalho e em audiências públicas em casas legislativas e sindicatos bancários. Nesta quinta, essa mobilização mais uma vez mostra sua força, com atividades promovidas nacionalmente. “É fundamental que todos participem. Acredito que é possível reverter mais uma vez essa proposta e garantir o papel social da Caixa, assim como o respeito aos direitos de seus empregados”, afirma Rita Serrano.

Ela lembra que o apoio dos parlamentares comprometidos com a Caixa pública vem sendo fundamental, mas em um governo golpista como o atual tudo é possível. “Não vamos esmorecer. Amanhã precisamos fortalecer as atividades e demonstrar que queremos o banco como é; ou seja, fundamental para o desenvolvimento do Brasil. Acredito que podemos, sim, alterar o rumo dessa prosa. Então vamos à luta!”, enfatiza.

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado